CONSTRUÇÃO DE SISTEMAS TEÓRICOS

Por: Joao H L Ferreira

 

Apesar de não ter encontrado referências bibliográfica sobre o assunto, o meu professor de termodinâmica falou sobre o desenvolvimento da turbina de Laval. De acordo com ele, apesar o projeto é do século XIX, época em que não havia condições de construir a turbina. Apesar de ter sido uma idealização teórica, os princípios da mesma são utilizados até hoje.

 

Contam que, na época da concepção do projeto da turbina, os materiais necessários ainda não existiam. Além de fazer o projeto teórico, Gustaf de Laval teve que especificar as características do material de seus componentes (Resistência mínima da peça, peso, outras características), para depois desenvolver ou procurar os ditos cujos.

 

Passado essa etapa, espantosamente, funcionou de acordo com as especificações.

 

Fiz essa introdução para dizer que os sistemas podem ser desenvolvidos de maneira teórica, desde que as partes não sejam incoerentes entre sí ou com as leis conhecidas. Einstein fez isso na teoria da relatividade: Desenvolveu um modelo teórico matemático baseado em princípios que se completavam e que se mostravam coerentes. Na época da publicação de sua teoria, não havia como prová-la.

 

Da mesma maneira, tentei montar um sistema coerente, utilizando o raciocínio na busca de explicar como o livre arbítrio do homem e a hiper-suficiência de Deus podem existir ao mesmo tempo.

 

 

Dessa forma, vou começar com as premissas:

1  1)   Deus existe (Apesar de não poder provar, existem indícios de um ser superior gravado em Gênesis e Ele é a explicação necessária ao Universo).

 

    2)   Deus é METAFÍSICO (Está além do nosso Universo Físico).

 

3  3)   No Universo Metafísico, as Leis do Universo físico não se aplicam.

 

4  4)   Deus tudo pode (É SOBERANO), tendo como único limitador a sua própria vontade.

5  5)   A RESPONSABILIDADE e imputabilidade não existem sem o livre arbítrio.

6  6)   A manipulação é uma forma de cercear o livre arbítrio.

 

PRIMEIRO SISTEMA: Deus é ONISCIENTE; isso é, TUDO SABE. Então, apesar de ter dado livre arbítrio para o homem, Ele já sabia que o homem PECARIA; e que isso levaria a guerras, doenças e sofrimentos. Nesse sistema, o HOMEM estaria PREDESTINADO a PECAR e cometer todas as barbáries ocorridas na história. Esse sistema foi descartado, pois o livre arbítrio seria um engodo e o homem não seria responsável pelos seus atos, pois estaria executando uma peça de teatro cujo script estaria escrito na predestinação divina, sendo o homem uma mera marionete.

 

SEGUNDO SISTEMA: Deus tudo pode. Todas as coisas que acontecem no Universo é VONTADE DE DEUS. Os planetas gravitam por VONTADE DE DEUS. Se alguém NASCE ou MORRE é VONTADE DE DEUS. As tragédias e boas venturas são VONTADE DE DEUS. Tudo é vontade de Deus e NADA ACONTECE sem a Sua vontade. Descartei também esse sistema, pois ele implica que o comer a maçã, pecar, guerrear, fazer as pazes, etc, é VONTADE DE DEUS e o homem não teria vontade, somente Deus. Nesse sistema não tem livre arbítrio e o homem não tem responsabilidade sobre os próprios atos.

 

TERCEIRO SISTEMA: Deus ONIPRESENTE e está em todos os LUGARES ao mesmo tempo. Então Ele estava PRESENTE no momento em que a serpente conversou com Eva. Estava presente nas câmaras de gás de Auschwitz, nas guerras, presenciou as atrocidades humanas e as guerras santas travadas em Seu nome e nada fez. Esse sistema existe o livre arbítrio, mas demonstra um DEUS AUSENTE, DISTANTE, que NÃO LIGA para a HUMANIDADE. Um Deus que dá o seu filho pela salvação da Humanidade não é um Deus ausente, mas atuante. Por isso, também descartei esse sistema.

 

QUARTO SISTEMA: Pela teoria de Einstein, ESPAÇO e TEMPO estão INTERLIGADOS, formando um TECIDO ÚNICO. Isso implica que a ONIPRESENÇA de Deus (Estar presente em todos os lugares ao mesmo tempo), se estende ao TEMPO. Isso é: Deus está PRESENTE EM TODAS AS ERAS AO MESMO TEMPO. Por essa visão, Ele está no paraíso e fora dele. Está CRIANDO e ASSISTINDO o FIM do UNIVERSO como uma única coisa. Ele está presente no pecado de Adão, na arca de Noé, no sacrifício de Abraão, no Êxodo com Moisés, na crucifixão de Jesus Cristo, nos nossos tempos e no futuro distante. Tudo isso ao MESMO TEMPO. Tudo com se fosse um único ponto e um único momento. Enquanto o homem percebe o espaço e o tempo como coisas distintas, linear e sequencial, Deus percebe todo o Universo e todos os tempos como um único ponto, ocorrendo em um mesmo tempo e em um mesmo lugar. Esse modelo, no entanto, expande os poderes de onisciência, onipotência e onipresença de Deus ao máximo, o que implica em negar ainda mais o livre arbítrio, pois é uma junção ampliada da soma de todos os sistemas criados anteriormente.

 

QUINTO SISTEMA: Esse sistema é um aprimoramento do quarto. Deus é ONIPRESENTE, onisciente, onipotente. Ele está PRESENTE em todos os tempos e em todos os lugares, enxergando e vivendo em todos os pontos do espaço tempo. Quando Ele cria o Universo e está presente ao seu final, tudo ao mesmo tempo; só que nesse modelo ele NÃO CRIA APENAS UMA LINHA DO TEMPO, mas VÁRIAS. Uma para cada escolha que o homem possa fazer, criando uma multiplicidade de Universos, abarcando cada possibilidade de escolha do homem.

 

Nesse modelo, o homem teria livre arbítrio, pois poderia escolher para onde ir e o que fazer nas “encruzilhadas” da vida. A caminhada do ser humano seria um eterno diálogo com Deus, nos propondo um caminho, mas seríamos livres para escolher a estrada que queremos seguir. Para isso, cada escolha seria o entrar em um Universo diferente; resultado da confluência de vários outros em um mesmo ponto do espaço tempo.

 

CONCLUSÃO: Deus é um SER METAFÍSICO, de ESPAÇO TEMPO NÃO LINEAR (Ele percebe e presencia todo o espaço e todos os tempos com uma única coisa) com total soberania sobre o UNIVERSO FÍSICO e metafísico, tendo como único limite a sua própria vontade. Ele criou VÁRIOS UNIVERSOS, uma para cada representação possível das escolhas humanas, dialogando com o homem na diversidade dos Universos possíveis.

 

Atenção: Esse texto pode ser copiado ou utilizado, em todo ou em parte, desde que cite como origem a "Página pessoal de João Henrique Lacerda Ferreira em www.jhlf.com.br".

Voltar